“Eu quero conectar o mundo do jeito certo”, disse Orkut, em encontro exclusivo em Porto Alegre

Aproveitando a presença de do empreendedor social Orkut Buyukkokten, criador da extinta rede social Orkut e hoje CEO da Hello em Porto Alegre, para a terceira edição do BS Festival 2k19, a Fábrica do Futuro promoveu a 2ᵃ edição do  “FdoF Talks #002 – MeetUp com ORKUT Buyukkoten”. Cerca de 50 convidados tiveram a oportunidade de ouvir o empreendedor falar sobre como vê o mundo das redes sociais e sobre relacionamentos por meio da tecnologia. 

Entre as perguntas que respondeu, ele relembrou a criação da rede Orkut e de como a ideia veio justamente enquanto observava o surgimento de conexões entre pessoas. “O Orkut.com surgiu com um projeto que eu comecei quando era um estudante em Stanford. Eu constantemente sentava e observava as pessoas fazendo amigos apenas com quem estava nos seus dormitórios, cursos ou fraternidades. A maioria das pessoas construíram grupos de amigos que manteriam ao longo de toda a faculdade e até mesmo pelo resto das suas vidas”, confidenciou. Foi justamente isso que o motivou a criar uma rede onde pessoas com os mesmos interesses pudessem se conectar. Ele lembrou ainda que a ideia surgiu antes mesmo da criação do Facebook.

Para ele, não há dúvidas de que o social networking tem o poder de mudar o mundo, conforme afirmou. ‘Quando eu vi as pessoas usando a nossa plataforma, eles não estavam apenas fazendo amigos online, eles estavam encontrando romance, até mesmo casando e formando famílias’, citou Buyukkokten. Ele explicou que o papel do Orkut.com foi justamente de ser o meio para que isso acontecesse. Assim, ele descobriu que a rede havia ido muito mais longe, o que é um potencial cada vez mais atual das redes sociais. “O que eu descobri é que as pessoas não estavam apenas compartilhando as suas opiniões online, estavam se juntando e organizando ações de justiça social e levantando dinheiro para causas simplesmente porque nós demos a eles um espaço onde podiam se conectar”, contou.

Ele não deixou também de abordar a questão da monetização dessas redes. Segundo o convidado, o feed de notícias, em especial, tornou-se um espaço para a promoção, seja de pessoas, ideias ou empresas. Além disso, ele falou sobre a tendência cada vez maior de tornar a vida cada mais online em tempo real. “Todos os dias nós somos bombardeados com uma cachoeira de atualizações que nós nunca soubemos que precisávamos, nunca quisemos e nunca estivemos preparados para receber”, afirmou, citando ainda estudos que associam o tempo em que uma pessoa passa no Facebook ao desenvolvimento da depressão.

Tecnologia para unir

Buyukkokten ainda crê no potencial da tecnologia para unir e não dividir. “Social networking deveria ser baseado em interesses populares e paixões compartilhadas, deveria nos ajudar a nos conectar com os outros face a face na vida real”, afirmou. Questionado ainda sobre o que deseja e projeta, ele destacou que seu objetivo é “conectar o mundo do jeito certo”.

“Eu quero conectar o mundo do jeito certo. Eu estou criando uma comunidade onde você pode ser só você, não quem você pensa que deveria ser ou o que o mundo gostaria de ver”, adiantou ele, finalizando que é importante que as pessoas mostrem suas diferenças e não as escondam.